Passe de saúde

cidadãos e advogados,
uma aliança europeia

Assine a petição Transparência da vacina Covid-19
94.318
signatários
+ 96 em 24h

Petição
Transparência da vacina Covid-19


NÓS, cidadãos conscientes e informados - já tendo visto vários escândalos provocados pela Big Pharma - pretendemos relembrar alguns princípios simples e indiscutíveis, com o objetivo de promover o interesse de todos na face da Covid- 19.

A urgência do combate ao coronavírus não justifica todas as isenções. A necessidade de reviver a máquina econômica não deve expor a população a efeitos colaterais indeterminados ou benefícios incertos, que só podem ser verificados por meio da transparência dos dados.

A tentação das autoridades de criar uma obrigação de vacinação, mesmo através de um passaporte de vacinação, não deve sobrepor-se às liberdades públicas. O sigilo - alegadamente empresarial - e a opacidade das decisões tomadas por autoridades distantes são fontes de questionamentos legítimos e verificações necessárias.

Diante de uma relação risco-benefício incerta, não há dúvida de oferecer aos fabricantes de vacinas impunidade absoluta. A transparência requer acesso direto aos dados para verificar a validade das decisões tomadas. Nossas vozes estão se levantando para exigir que as autoridades europeias prestem contas.

É necessário dar aos cidadãos e aos deputados europeus acesso:

  • Para todos os arquivos de autorização de comercialização conhecidos como AMM (condicional) para vacinas, arquivados em particular com a Agência Europeia de Medicamentos (EMA);
  • Contratos de compra de vacinas entre a Comissão Europeia e os principais fabricantes de vacinas;
  • Os privilégios concedidos aos fabricantes de ver sua responsabilidade assumida pela comunidade se seus produtos apresentarem defeito.

Não somos cobaias. Com nossas famílias, somos os primeiros a ser afetados. Nós exigimos que todos esses elementos sejam tornados públicos. Na ausência da Comissão Europeia jogando o jogo da transparência, nós nos reservamos o direito de tomar medidas legais coletivas a fim de obter as informações necessárias.

Como cidadãos que assinaram esta petição, também nos reservamos o direito tomar medidas legais coletiva, a fim de ser protegido contra a obrigatoriedade da vacinação e em particular contra o estabelecimento de um “Saúde passar” condicionar o exercício de nossas liberdades fundamentais para comprovar a vacinação da Covid-19.

O projeto “Transparência da vacina Covid-19

Da petição à iniciativa de cidadania europeia
por meio de ação coletiva

  • Pedido amigável

    50.000 signatários

    Reunir-se e contar para pesar sobre os tomadores de decisão, libertando-os do jugo dos lobbies. Expulse a política do medo e substitua-a pela política da confiança.

    De 50.000 peticionários, será iniciado um pedido amigável de comunicação de documentos. O objetivo será obter arquivos de autorização de comercialização condicional (MA) para vacinas, bem como contratos completos com fabricantes (Pfizer, Moderna, AstraZeneca, Johnson

  • Ação coletiva

    250.000 signatários

    Aja, além da petição, por meio de ação legal. Empurre os oponentes para suas contradições para ganhar o caso contra a opacidade das informações.

    Dos 250.000 signatários da petição, ação coletiva será oferecida aos peticionários que desejarem, especialmente se a administração europeia não jogou o jogo da transparência.

    Ao abrir a ação, cada peticionário terá a oportunidade de escolher entre:

    1. Permanecer como simples signatário da petição (gratuito);
    2. Ou registre-se para ação coletiva para transparência da vacina Covid-19 (com contribuição),
      e, opcionalmente, agir contra o passe de saúde ou mesmo a obrigação de vacinação (com uma contribuição adicional) que a Europa pretende introduzir.

  • Inteligência coletiva

    500.000 signatários

    No caso da Tobacco Papers, os fabricantes de cigarros foram obrigados a divulgar 80 milhões de páginas de documentos. Com o trabalho dos acadêmicos, essa montanha de informações se transformou em evidência a serviço do bem comum.

    Para não ficarmos sobrecarregados com a massa de documentos, iremos propor 500.000 peticionários para quaisquer documentos obtidos para compartilhá-los com a comunidade científica internacional.

    Na Covid-19, a ANSM (Agência de Segurança Nacional de Medicamentos, em França) declarou que o processo para uma única vacina representava « o equivalente a 33 toneladas e centenas de milhares de páginas ».

  • Iniciativa de Cidadania Europeia

    1.000.000 de signatários

    A vacinação é apenas um caminho e outras formas de controle de doenças, incluindo tratamento, incluindo medicamentos genéricos, não devem ser descartadas.

    Vamos propor o lançamento de uma Iniciativa de Cidadania Europeia, a fim de impor um duplo imperativo à Comissão Europeia:

    • Por um lado, o acesso justo a todos os tratamentos comprovados entre os países membros da UE,
    • Por outro lado, ofereça a garantia de que não haverá obrigação de vacinação com a Covid-19.

    Este equilíbrio objetivos os objectivos europeus de respeito pela dignidade humana, liberdade, democracia, igualdade, do Estado de direito, bem como o respeito pelos direitos humanos (artigo 2 do Tratado da União Europeia).

O time

Composto por advogados independentes de vários estados da União Europeia, a equipa pretende proporcionar uma defesa eficaz ao maior número de pessoas possível.


Advogados


Christophe LÈGUEVAQUES

Christophe LÈGUEVAQUES

Doutor em direito e advogado na Ordem dos Advogados de Paris. Ele é conhecido pelas batalhas coletivas que lidera por meio da plataforma de ação coletiva MySmartCab.

Arnaud DURAND

Arnaud DURAND

Advogado na Ordem dos Advogados de Paris, Major 2013 na Universidade Panthéon-Assas.
Advogado de patentes, ele também intervém em defesa de vítimas de danos relacionados às ondas eletromagnéticas.

Géraldine ADRAÏ-LACHKAR

Géraldine ADRAÏ-LACHKAR

Lawyer no Bar Marselha, formou-se em Direito da Saúde da Universidade de Aix-en-Provence, ela desenvolveu uma perícia particular em lesões corporais e fundou o Gabinete Adrai Lachkar.

Marc THEISEN

Marc THEISEN

Advogado na Ordem dos Advogados do Luxemburgo, formado pela Universidade de Bruxelas e com 35 anos de experiência em direito civil e direito desportivo, fundou a Empresa M. Theisen e J. Marques.

Romain SINTES

Romain SINTES

Advogado na Ordem dos Advogados de Toulouse, graduado pela Universidade de Toulouse 1 Capitole. Homem da área, aprecia conhecer as profissões de seus interlocutores para melhor defendê-los em negociações ou contenciosos.

Jérôme GIUSTI

Jérôme GIUSTI

Advogado na Ordem dos Advogados de Paris, graduado pela Panthéon-Assas University. Presidente da Humanitarian Association Emergency Rights, ele também co-dirige o observatório de justiça da Fundação Jean Jaurès.

Avocat
Avocat

****** ******

Quer aderir ao consórcio multidisciplinar “déjà-vu”?
Somos a favor do desenvolvimento de uma estratégia comum. Contate-nos para discutir isso.

Projeto realizado por:

Logo MySmartCab

12.500 cidadãos

Defendido na Justiça

41 tentativas

Ações em processo

11 advogados

Membros da rede